Blog Conversa de Bicho - Estadão: Especialista do Santa Inês fala sobre os perigos do chocolate para pets - Hospital Veterinário Santa Inês

Blog Conversa de Bicho – Estadão: Especialista do Santa Inês fala sobre os perigos do chocolate para pets

Chocolate é nocivo para cães e gatos

FÁBIO BRITO

24 Março 2016 | 23:09

O chocolate pode nos trazer uma sensação prazerosa e alguns benefícios – se for consumido com moderação –, mas a manteiga de cacau é rica em teobromina, substância altamente tóxica para os cães e os gatos.

chocolate-cao

“Entre seus efeitos no organismo, observa-se a estimulação cardiovascular, diurética e do sistema nervoso, além de causar alterações gastrointestinais, como vômito e diarreia. Em excesso, a teobromina pode levar um cão à morte”, explica Daniel Diola, médico-veterinário do Hospital Santa Inês.

A substância também é tóxica para os gatos, mas como o comportamento alimentar do felino é mais seletivo, não é tão comum a ingestão de chocolate por essa espécie.

Quanto mais escuro o chocolate, maior a concentração da substância tóxica para os animais. Já se a quantidade de gordura for maior em sua composição, menor será a concentração de teobromina encontrada no produto. Desta forma, os brancos (mais gordurosos) precisam ser consumidos em maior quantidade para causar a intoxicação, mas são tão proibidos quantos os demais chocolates, já que o elevado teor de gordura pode desencadear outros problemas graves, como a pancreatite, que inclui vômitos, dor abdominal, febre e pode levar à morte.

O que fazer?

Muitos podem até saber que o chocolate é tóxico para os animais, mas como proceder se houver a ingestão acidental pode fazer a diferença no tratamento. Caso ocorra o consumo, orienta-se a estimar a quantidade ingerida para informar ao médico-veterinário. Quanto mais rápido o animal for levado para a avaliação desse profissional, melhor são as chances dele de se recuperar e não desenvolver um quadro grave.

“Não se recomenda induzir ao vômito sob o pretexto de impedir a absorção do produto.  Tal procedimento deve ser realizado somente por profissional competente, além do fato de ser contraindicado em intoxicações por estimulantes do sistema nervoso, como no caso dos chocolates, podendo ocasionar também gastrite”, explica.

Resista ao olhar!

Produtos que são desenvolvidos e comercializados como se fossem chocolates para os pets, na verdade, são petiscos fabricados geralmente à base de soja, sem essa substância nociva que causa a intoxicação. No entanto, vale salientar que, como qualquer outro alimento estranho à dieta habitual do cão, pode ocasionar distúrbios gastrointestinais, além de ser contraindicado para aqueles que sofrem de sobrepeso ou de doenças endócrinas, como o diabetes mellitus.

O veterinário Daniel Diola relata que, certa vez, um paciente que chegou ao pronto-atendimento do hospital apresentava alterações compatíveis com a intoxicação por teobromina. Porém, faltava um detalhe para fechar o diagnóstico: os responsáveis pelo cãozinho doente aceitarem que foi oferecido chocolate ao animal. Afirmavam ser impossível que tal situação tivesse ocorrido.

Quando questionados sobre a presença de crianças e idosos na casa, foi possível chegar à causa. Uma senhora, que trabalhava na casa, vinha todos os dias para colocar o local em ordem enquanto o casal, sem filhos, trabalhava. Com medo de ser responsabilizada pelo ocorrido, ela apenas admitiu ter oferecido chocolate para o paciente quando os responsáveis falaram que se fosse o chocolate poderia ter antídoto.

O paciente ficou bem, mas é importante lembrar que para a intoxicação por teobromina não existe antídoto, ou seja, nenhuma medicação específica tem o poder de reverter os efeitos tóxicos da substância. O tratamento é direcionado ao combate dos sintomas e à eliminação da toxina na circulação.

“Grande parte dos casos de intoxicações por chocolates ou outros alimentos ocorrem principalmente quando os cães têm contato com crianças e idosos, que, não compreendendo a importância de uma dieta canina regrada, acabam oferecendo alimentos nocivos sem saber. Mas todo cuidado é pouco e qualquer pessoa pode ser desafiada a resistir à famosa ‘cara de cão pidão’ dos melhores amigos”, completa o médico-veterinário.

Menos comum no período de Páscoa, mas tão importante quanto a preocupação com o chocolate, é bom lembrar dos produtos e pratos que contenham uvas passas. Mesmo em pequenas quantidades, podem causar lesões renais graves, com relatos de casos de óbitos em cães.

Sendo assim, mais vale um carinho no amigão e um petisco do qual ele já está acostumado, com moderação, do que mudar a alimentação e ter problemas depois.

Link para a matéria: http://vida-estilo.estadao.com.br/blogs/conversa-de-bicho/chocolate_e_nocivo_cao_gato/