Fim de ano chegando. Hora de redobrar a atenção com nossos pets

Fim de ano chegando. Hora de redobrar a atenção com nossos pets

Os panetones ganham as prateleiras dos supermercados. Essa tentação para nossos olhos revela que o período de festas de fim de ano está chegando. Alegria para os humanos, Natal e Réveillon são datas perigosas e que requerem total atenção com os bichinhos. Envolvemos nossos pets nas comemorações quando, na verdade, devíamos protegê-los e redobrarmos os cuidados. Em época de comida farta e festejos além da conta, exagerados por vezes, acabamos alimentando inadequadamente e expondo os animais às intoxicações. Também há perigo com bebidas alcoólicas, enfeites eletrônicos e os temidos fogos de artifício.
Óbvio que queremos agradar nossos peludinhos quando dividimos as refeições da ceia. Um grande erro. Doces não são bem-vindos. Os pets não metabolizam o açúcar. Panetone é bom? Sim. Chocotone, mais ainda? Com certeza, mas temos de saber que ambos são bastante adocicados e tornam-se venenos. Chocolate, o recheio predileto das sobremesas, é um dos maiores perigos para nosso animal. O doce pode causar vômitos e diarreia. Portanto, servir doce ao seu pet, NEM PENSAR. Ele vai sofrer sem necessidades.
Ossos de aves também podem causar estragos enormes no nosso cão ou gato. Além de danosos ao organismo animal, os ossos ainda podem perfurar órgãos internos vitais. Coloque os restos do peru ou da ave natalina bem distantes. Sabe aquele olhar pidão irresistível de seu animalzinho? Então, para não ceder aos desejos insaciáveis, que tal adquirir um produto feito especificamente para ele? Acredite, eles existem. Seu bichinho certamente vai ficar bem feliz se ganhar uma ceia feita sem riscos para sua saúde. Presentei-o com um panetone pet, por exemplo.
Outro lembrete: animal não pode em hipótese alguma ingerir bebidas alcoólicas, sob risco de até entrar em coma, uma das maiores causas de entrada nas emergências no período de festas natalinas. Culpa do descuido humano. Não que alguém vá embebedar um animal por vontade própria. Mas muitos de nós exageramos na hora do brinde e acabamos alterados. Consequência? Largamos os copos por todo canto da casa, apartamento, sítio, chácara… E as bebidas são cheirosas, aromatizadas e não há um pet que resista. Copos, só em mesas e locais altos. Viu um animalzinho com náuseas, vomitando ou com falta de ar, uma das culpas pode ser o álcool.
Comida e bebida resolvidos, hora de mirar seus cuidados à decoração e ao barulho. O famoso pisca-pisca, da árvore ou mesmo enrolado em balaustres, deixa a casa alegre, colorida e esbanjando felicidade. Mas também pode machucar o bichinho. Seja um bom tutor e evite expor seu amigo do coração a choques, queimaduras e cortes na boca, língua ou focinho. As bolas e os penduricalhos são vistos como brinquedos por cães e gatos. Pontiagudos, também sugerem acidentes. Engasgamento é um deles. Deixe-os em locais protegidos, altos, sem contato animal.

Evite soltar fogos. Ou não deixe o pet próximo das queimas de rojões da hora da virada. Com audição avançada, cachorros são extremamente sensíveis e entram em pânico sob intenso barulho. E a reação pode ser bem pior que a simples fuga de casa sem destino. Cães perdem o controle e acabam se acidentando gravemente graças aos foguetórios. Alguns ousam saltar muros, cercados e janelas, e sofrem, no mínimo, com fraturas de patas.

Algodão nos ouvidos pode ser uma tática preventiva eficaz. Ou um pano envolto nas orelhas. Conversar com o animal para apaziguá-lo, acalmá-lo, também é uma saída. Como a tradição da queima de fogos é inevitável, nada mais justo que o pet seja preservado e ganhe uma atenção especial nesse momento de angústia.

Mais uma dica: alerte aquele parente ou amigo distante que só aparece nos festejos e chega achando que é de casa, que cães e gatos não estão ambientados com tais presenças e certamente vão estranhá-los. Portanto, nada de intimidade. Os bichos ficarão irritadiços com a invasão de seu espaço. Podem atacar ou também optar por fugas. Gatos e cães costumam se distanciar e acabam não lembrando o caminho de volta ou se acidentando pelas ruas. Portanto, portões fechados e protegidos, amiguinhos. Vamos festejar, sim senhor, curtir, dançar, beber, comer, agradecer, mas lembrando que com responsabilidades. Com a família, amigos e o mais importante, nossos inestimáveis bichinhos de estimação.